10/01/17

Serve the city


www.servethecity.pt

Participamos na construção de pontes entre pessoas, instituições e territórios, através de acções de voluntariado, de forma a tornarmos a Cidade mais justa, fraterna e solidária. 

Temos projectos nossos (sempre com parceiros), projectos conjuntos, e projectos de parceiros para os quais contribuímos com voluntários que levam o espírito do serviço à Cidade, do encontro e da mudança. 

Vamos ao encontro de pessoas socialmente fragilizadas, actuando nas temáticas da exclusão, da pessoa sem-abrigo, da pessoa idosa isolada, das crianças e jovens em situações de maior vulnerabilidade, da pessoa imigrante ou refugiada, etc.
 

08/01/17

Formação Voluntários em Saúde


CURSO EM REGIME ELEARNING
«FORMAÇÃO DE VOLUNTÁRIOS EM SAÚDE»


  
PRAZOS DE CANDIDATURA: de 1 de dezembro 2016 a 15 de janeiro 2017  
Para saber mais consulte o documento essencial «Identidade do Curso» - AQUI     
Boletim de Inscrição:  AQUI
Informações:
GABINETE DE APOIO À FORMAÇÃO AVANÇADA (GAFA)
Marta Salvador
Tel
. 21 721 41 54 / 21 721 40 00

Horário de atendimento:2ªs. a 6ªs. Feiras: 09H00 - 18H00;  
Endereço electrónico: gafa@ft.lisboa.ucp.pt

SESSÃO PRESENCIAL DE ABERTURA
20 DE JANEIRO | SALA 311| 18H30 - 20H00   

22/12/16

Aarhus distinguida como Capital Europeia do Voluntariado 2018


O júri da competição Capital Europeia do Voluntariado, implementada pelo Centro Europeu de Voluntariado (CEV) desde 2014, selecionou a cidade de Aarhus, na Dinamarca, comoCapital Europeia do Voluntariado 2018. O anúncio da cidade vencedora foi feito durante as celebrações do Dia Internacional dos Voluntários, a 5 de dezembro último, em Londres, no âmbito da conferência internacional que encerrou as iniciativas realizadas no quadro da mesma distinção da qual Londres foi alvo durante 2016. Em 2017, a Capital Europeia do Voluntariadoserá Sligo, na Irlanda, cujo centro de voluntariado celebra o seu 10º aniversário. Nesta cidade o valor económico do voluntariado, como cofinanciamento, é reconhecido e são recolhidos sistematicamente dados relativos à prática do voluntariado, os quais servem de base à elaboração de políticas públicas locais. No que se refere a Aarhus, a cidade tem uma "Estratégia de Cidadania Ativa", a qual envolve a implementação de mecanismos de financiamento para organizações promotoras de voluntariado e medidas de medição do impacto do voluntariado para a elaboração de políticas públicas adequadas para o setor. Mais informações, aqui.

20/12/16

Grupo de mulheres quer provar que é possível ter um Banco do Tempo em Vila Franca de Xira



Um grupo de seis mulheres, residentes na região, decidiu avançar com a criação de um Banco do Tempo em Vila Franca de Xira e estão determinadas em provar que é possível ter uma destas estruturas a funcionar no concelho.

A ideia do projecto é operar como um banco, com a diferença de que o único bem transaccionado é o tempo. Há cheques onde os interessados podem dar e receber até 20 horas de ajudas em diversas áreas, seja a passar a roupa, dar explicações a jovens alunos, ir com idosos ao médico ou até lavar o carro. Tudo à borla, apenas movido com o espírito de dar e receber sem pedir nada em troca.

Ler mais aqui.

Têm mais de 55 anos, estão reformados, mas têm demasiada vida e habilitações para pararem. Histórias de quem aproveita a velhice para fazer voluntariado em África.

Ler mais aqui.

29/10/16

Voluntariado: Pastoral Universitária de Braga apresenta projetos para novo ano letivo


Propostas contemplam o apoio a criança com dificuldades educativas e mulheres com deficiência mental

“A Pastoral Universitária convida os universitários e pós-universitários a participarem nas ações de voluntariado, com um apelo ao sentimento de solidariedade de cada estudante, bem como ao seu compromisso para com o melhoramento da sociedade em que se inserem”

Sobre os projetos, será apresentado o programa “Mais Horizonte”, desenvolvido a partir de “uma parceria com a Escola Básica de Gualtar” e que pretende contribuir para alargar os horizontes de “crianças com dificuldade de aprendizagem e insucesso escolar”.
Destaque ainda para um outro novo projeto, desta vez ligado ao “apoio e acompanhamento de mulheres portadoras de doença mental”, na Casa de Saúde do Bom Jesus.
O terceiro projeto é o programa “Semente”, este a nível internacional e que vai na sua quarta edição. Aqui o que se pede é um voluntariado “de curta duração, em países em vias de desenvolvimento e com expressão portuguesa”.
A Pastoral Universitária de Braga espera que esta iniciativa contribua para dar aos voluntários envolvidos “vivências humanas e sociais” que lhes permitam “confrontar-se com a sua condição de vida, a sua responsabilidade junto dos mais desfavorecidos e a sua consciência cristã”.
As inscrições para os dois primeiros projetos já estão abertas na respetiva página da organização.
Daqui.

23/10/16

Voluntários universitários

Alunos universitários de Braga vão ter a oportunidade de participar num encontro de apresentação de propostas de voluntariado em Portugal e no estrangeiro


O projeto `Sementes´ é de curta duração e decorre em países em vias de desenvolvimento e com expressão portuguesa

Ver mais aqui.

14/09/16

IIHSCJ organiza Jornadas do Voluntariado


O Instituto das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus (IIHSCJ) realiza as "Jornadas do Voluntariado", no dia 1 de Outubro, entre as 9h30 e as 19h, no Auditório da Clínica Psiquiátrica S. José, na Azinhaga da Torre do Fato, 8 (Telheiras), em Lisboa. No evento discutir-se-ão temas como valor do voluntariado, boas práticas em voluntariado e ética do voluntariado. Informações e inscrições:jornadas.vol@irmashospitaleiras.pt.

CPV realiza formação em gestão de voluntariado



CPV organiza uma ação de formação em "Gestão de Programas de Voluntariado", com um total de 24 horas, que decorrerá nos dias 12, 13, 19 e 20 de Outubro, entre as 9h30 e as 16h30, na sede do Corpo Nacional de Escutas (CNE), na Rua D. Luís I, 34, em Lisboa. Esta ação de formação tem como destinatários os recursos humanos de organizações privadas com e sem fins lucrativos e de entidades públicas, bem como técnicos de Bancos Locais de Voluntariado, que promovam, ou pretendam promover, programas/projetos de voluntariado. A ação de formação tem um custo de 50€ por formando/a. O pagamento deve ser feito antes da inscrição e o seu comprovativo deve ser enviado para geral@convoluntariado.pt. Inscrições para a ação de formação, aqui.

08/09/16

Voluntariado cresce nas prisões portuguesas



A divulgação do trabalho da Pastoral Penitenciária em Portugal está a fazer crescer o número de interessados em colaborar com os capelães dos estabelecimentos prisionais, no apoio social e espiritual aos reclusos


O trabalho desenvolvido pelos membros da Pastoral Penitenciária nas cadeias portuguesas está a despertar a atenção a cada vez mais voluntários, que se têm oferecido para colaborar no apoio social e espiritual dos reclusos, revelou esta segunda-feira, 5 de setembro, o padre João Gonçalves, no âmbito da I Peregrinação Nacional do movimento ao Santuário de Fátima. 


Segundo o coordenador nacional da Pastoral Penitenciária, «o número de voluntários nas prisões tem aumentado significativamente», e embora não existam dados concretos sobre a quantidade de pessoas que disponibilizam o seu tempo para ajudar os detidos, há atualmente «mais de 500 visitadores» ligados à pastoral carcerária da Igreja Católica



Apesar desta manifestação de solidariedade, o padre João Gonçalves considera que há ainda «muito a fazer» para mudar a mentalidade da sociedade em geral e das comunidades católicas em particular, no que respeita ao acolhimento e integração social e laboral dos ex-reclusos. 



«Que tenhamos todos a capacidade de agir e dar respostas concretas, de nos pormos a caminho, de visitarmos os presos, de estarmos próximos deles e testemunharmos a misericórdia de Deus», disse por sua vez o bispo auxiliar de Lisboa, Joaquim Mendes, alertando para a necessidade de haver cada mais proximidade com os detidos, que «estão privados da sua liberdade mas não da sua dignidade». 



Nesta primeira peregrinação nacional da Pastoral Penitenciária participaram vários reclusos e ex-reclusos, familiares de presos, os capelães prisionais e diversos elementos ligados ao sistema prisional.


Notícia daqui.

CPV abre candidaturas para Troféu Português do Voluntariado


Voluntariado: Projeto «Coração na Guiné-Bissau» promoveu «desenvolvimento multicultural e profissional»


O projeto de voluntariado missionário ‘Coração na Guiné-Bissau’ envolveu sete voluntárias que tinham como objetivo “o desenvolvimento multicultural e profissional” com o povo do país lusófono e da experiência ficou “a responsabilidade, o compromisso” e “o amor”.
“Facultar o desenvolvimento multicultural e profissional entre os voluntários missionários e o povo guineense” foi o principal objetivo de ‘Coração na Guiné-Bissau’, explica a responsável pela comunicação do projeto.
Ler mais aqui.

07/09/16

África: Leigos para o Desenvolvimento levam 13 voluntários a novas missões

A Associação ‘Leigos para o Desenvolvimento’ (LD) vai enviar durante este mês 13 voluntários para missões em África onde vão trabalhar em áreas “fundamentais” como “educação” e “formação”, em regime de voluntariado durante um ano.

Ler mais aqui.

29/08/16

Diálogos - Leigos SVD para a missão




http://dialogossvd.blogspot.pt/ 

Jovens missionários levam alegria e afeto aos idosos de Almodôvar


O grupo ‘Diálogos’, de jovens ligados aos Missionários do Verbo Divino, está em missão no concelho de Almodôvar, na região alentejana, para levar a sua alegria e afeto aos mais idosos.
Em entrevista à Agência ECCLESIA, Nuno Alegria Ribeiro, que integra este projeto, realça que os 14 voluntários envolvidos estão a visitar não só as pessoas “nos lares” mas também “nas suas próprias casas“.
Uma forma de combater a solidão que afeta grande parte da população idosa, nesta parte do território português.
“Muitas vezes as pessoas, principalmente nesta região, estão isoladas em montes e portanto é difícil o contacto”, sublinha o jovem voluntário missionário.
As visitas às pessoas estão a acontecer integradas nas ações de apoio e segurança prestadas pela GNR local e também pelas instituições sociais, mais concretamente pelo apoio domiciliário.
“É verdade que ao início pode haver sempre algum receio, muitas pessoas questionam o que é que nós queremos, que devemos vir pedir dinheiro, esse normalmente é sempre o primeiro pensamento”, reconhece Nuno Ribeiro.
No entanto, pouco a pouco, a relação estabelece-se e a ligação acontece, no meio de uma brincadeira, de uma conversa.
Entre as memórias que guarda como voluntário missionário, há uma que o jovem não esquece, passada num lar de idosos em Vilar Formoso.
“Quem conhece a realidade dos lares de idosos sabe que há pessoas com demências, associadas ao Alzheimer, ao Parkinson, muitas vezes não se lembram do seu próprio quotidiano, dos seus familiares, de quem gostam”, salienta.
Na avaliação da missão em Vilar Formoso, duas semanas depois, constatou-se que “pessoas que não se lembravam de quem eram os seus familiares, que muitas vezes não se lembraram do que tinham feito no próprio dia, lembraram-se dos voluntários, dos seus nomes”.
“Nós vamos estar com as pessoas e o facto de as conseguirmos marcar ao ponto delas se lembrarem passadas duas semanas, dos nossos nomes e do que tínhamos estado a fazer, isso é de facto marcante”, aponta Nuno Ribeiro.
O grupo ‘Diálogos’, criado no ano 2000, está espalhado por quatro núcleos do país: Guimarães, Coimbra, Santa Catarina, em Caldas da Rainha, e Lisboa.
Todas as atividades propostas aos membros “bebem do cariz missionário” dos sacerdotes do Verbo Divino.
“Os jovens fazem voluntariado e acompanham os padres na missão”, já estiveram em várias regiões de Angola, e em preparação está uma ida à Argentina.
Em Portugal já estiveram um pouco por todo o país, sendo que antes de Almodôvar estiveram neste mês de agosto em Viseu, a acompanhar pessoas com deficiência profunda.
O grupo conta com jovens entre os 16 e os 18 anos, mas recebe também elementos das mais variadas proveniências sociais.
“Uma senhora com 82 anos juntou-se a nós em Almodôvar para fazer voluntariado”, revela Nuno Ribeiro, que destaca ainda a importância destas iniciativas para uma maior ligação à fé, a Deus.
“Já fizeram projeto connosco pessoas não crentes e fizeram o seu encontro com Deus. É certo que o objetivo é o trabalho desenvolvido nas instituições mas ver outras realidades permite também o encontro connosco próprios, e não só com os outros. Como o espaço é limitado e as pessoas estão limitadas, todas as emoções são vividas ao máximo”, conclui.
Os jovens do grupo ‘Diálogos’ procuram ao longo do ano manter o contacto com as instituições onde trabalhamos, visitando-as e pondo em prática diversas iniciativas de dinamização.
Daqui.

Cáritas Diocesana de Beja apela ao voluntariado



Ler mais aqui.