08/08/08

Artémis - voluntariado de ajuda a mães que perderam os seus bebés


O Projecto Artémis é uma Associação sem fins lucrativos, concebida e dada à luz há sensivelmente três anos. Foi constituida por escritura pública, outorgada em 20 de Dezembro de 2005 e à qual foi conferida o Estatuto de Pessoa Colectiva de utilidade Pública. A Artémis surge na sequência da necessidade de diminuir a falta de informação técnica e apoio emocional de mulheres que perderam filhos por aborto espontâneo, bem como quebrar o pacto de silêncio, resultante de todo um processo de luto. Como tudo que é novo, que se afirma numa sociedade em que existem Tabus e temas de difícil comunicação, a Artémis tem sofrido um percurso lento e moroso, tendo só agora dado os seus primeiros passos na sua essência, graças a pessoas que se mobilizam frente a este problema e acreditam que estas mães, de facto, defrontam-se com um vazio de alma e uma angústia que lhes dilacera o espírito.


Depois de uma experiência dramática, de perda de dois filhos, Manuela Pontes, mentora e dirigente da Artémis, decidiu criar este grupo de apoio, onde se partilham experiências, medos, frustrações e Esperança face à maior verdade que impele estas mulheres: a busca pelo seu filho. Numa sociedade em que se banaliza o termo precoce de uma gestação, em que um aborto espontâneo adquire nuances de "selectividade da natureza", é imperativo dar a conhecer os bastidores desta "epidemia", que cada vez mais atinge mulheres, sem olhar à sua etnia, cultura, crenças e idade etária. O medo da rejeição, a vergonha de ser julgada, a insegurança retratada na falta de apoio a todos os níveis levam, na maior parte da vezes, estas mulheres à depressão profunda, ao isolamento e à crença de que a maternidade se torna na sua maior utopia.


A Artémis é constituída, neste momento, por um grupo de associadas unidas por uma causa comum, a Perda de um ou mais filhos, estando aberta ao público em geral. São mulheres que lutam diariamente com a medicina, com o seu corpo, com a vida, para trazer de volta o seu filho, que um dia lhes foi arrancado do ventre, por uma mãe natureza que nos impõe, desde muito cedo, o estandarte da maternidade. A mensagem que a Artémis divulga assenta na Coragem, na Persistência, na Luta, na Dignidade por melhorar as condições psicológicas e emocionais de mulheres, que vivem momentos dolorosos de partos prematuros, resultando na perda da vida do bebé, na interrupção não voluntária da gravidez, por causas extrínsecas ao nosso controlo e vontade e nos problemas de infertilidade que assolam casais de forma abrupta. Para essas pessoas uma única palavra: NÃO DESISTAM


Ver mais aqui.

1 comentário:

RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...