02/02/11

Ligar à realidade

Começa esta semana o Ano Europeu do Voluntariado. É uma iniciativa que, como acontece a maioria das vezes, serve para descansar a consciência de uma Europa à procura de valores que premeditadamente deixou cair, como a sua herança cultural e religiosa. É, no entanto, uma ocasião para iniciar um caminho que devia fazer parte da educação de todos.
Dedicar livremente uma parte do nosso tempo a prestar um serviço, seja ele qual for, à comunidade é uma experiência fundamental para qualquer homem ou mulher. O desafio que este ano propõe é para todos e devia ser mais do que um discurso para a classe política.
O problema da maior parte dos nossos políticos que enchem a boca com o discurso do "estado social" é que não sabem o que é prestar um serviço gratuitamente a quem está ao seu lado. Esta é talvez a maior diferença entre os políticos de agora, com grande dificuldade em aderir à realidade, e a primeira geração de políticos do pós 25 de Abril, como Ernâni Lopes, Sá Carneiro, Amaro da Costa ou António Guterres, com uma enorme sensibilidade social.
O voluntariado que fizeram, tal como o que fez Obama, dá aos homens políticos um outro olhar sobre a realidade, permite-lhes falar de coisas que as pessoas reconhecem e tomar medidas mais adequadas. Não é por acaso que nas sociedades mais evoluídas o voluntariado é uma parte integrante do curriculum.
Seria uma aposta ganha se, este ano, em vez de discursos, a nossa classe política decidisse arregaçar as mangas e dedicar algum do seu tempo, gratuitamente, a ajudar quem mais precisa. Quem sabe não encontrariam mais facilmente resposta para a crise.
Raquel Abecasis
RR on-line
31-01-2011

2 comentários:

missu amplu disse...

«Talvez um dia venhamos a exigir que a subvenção estatal seja para aqueles que precisam. Os nossos líderes gritam em voz alta que é preciso ajudar e que é imprescindível poupar. Isso, ninguém pode dizer que não sabe porque já todos sabemos e ouvimos. Quando veremos?»

M.A.

in "4 milhões de quê?"
de www.missuamplu.blogspot.com

Anónimo disse...

Eu gostaria de saber como em posso inscrever como possivel voluntária da vossa associação.

Melhor cumprimentos,
Andreia G.